Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

15
Jun 10

 

Álvaro Costa, apresentador do programa a “Liga dos últimos”, foi o convidado da aula do dia 14 de Junho de Jornalismo Especializado para nos falar um pouco da profissão de jornalista, como esta se tem vindo a desenvolver ao longo dos anos, e condicionantes que os níveis de audiências impõem na linha editorial.  

Antes de partir para análise da aula começarei por descrever um pouco o que é o jornalismo e o papel dos jornalistas.

Jornalismo

O que é

Jornalismo é a actividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. Também se define o Jornalismo como a prática de coligir, redigir, editar e publicar informações sobre eventos actuais. Jornalismo é uma actividade de comunicação. Como o convidado referiu o Universo Comunicativo é o Universo de Integração, ideia que vou referir mais tarde quando elaborar a análise da aula.

Neste âmbito o jornalista pode actuar em várias áreas de imprensa, como jornais, revistas, televisão, rádio, websites, weblogs, assessorias de imprensa, entre outros.

Temas

O jornalismo trata de todos os temas já referidos nas aulas de Jornalismo Especializado. Para além dos assuntos retratados em aulas dedicadas a algumas especializações da profissão jornalística aborda, num universo mais amplo, todas as outras que ainda não foram referidas neste blog.

Ideias retiradas da aula

O jornalismo está a evoluir cada vez mais. Quando, outrora, a comunicação era o essencial para a audiência, actualmente a audiência não se limita a ouvir. Bem pelo contrário, existe o feedback , em que a audiência faz sentir a sua opinião, ou seja pretende também comunicar.

Neste aspecto é fundamental referir os novos meios, como o facebook, o twitter, o myspace, onde todos nós somos media, pois temos acesso directo e objectivo para dar qualquer informação ou para opinar sobre algum assunto.

A audiência está a interferir no espectáculo, ou seja, a comunicação já não é tratada só na redacção por jornalistas. Cada vez mais a audiência está a exigir participação, fazer parte do diálogo, dar a opinião, ser comunicadora.

A partir daqui vamos ter que valorizar cada vez mais esta diferença, que não se pode entender como um fim mas, antes, uma consequência do que a audiência está a provocar. O mesmo será dizer: valorizar mais o estudo.

Álvaro Costa diz que o “Universo Comunicativo é o Universo de Integração”. Com isto o convidado quer dizer que, como a audiência está a crescer em todos os sentidos, os jornalistas vão ter que se integrar em tudo, ou seja, estudar sobre todos os assuntos, alargar a sua amplitude de conhecimento, valorizando os diferentes acontecimentos e sensibilidades que contribuíram para o tema em apreço. Por exemplo, se um jornalista fizer um trabalho sobre uma banda musical, vê-se na obrigação de aprofundar ao máximo os estudos, para não correr o risco de se ver confrontado com um que aborde algum assunto ou algum pormenor que o jornalista desconhece. Neste contexto, o jornalista não pode, colocar em segundo plano a audiência, antes , pelo contrário, tem que estar a interagir, permanentemente com ela.

Hoje em dia a informação é um produto. Um produto que tem que interagir, agradar, cativar, chamar a atenção da audiência. A audiência é cada vez mais fundamental para o jornalismo.

Crise

Sobre a crise o convidado deixou um apontamento referindo que a indústria e o comércio estão em crise, tomando como exemplo a hotelaria, referindo que tempos atrás a propósito do lançamento de um disco, ficava num hotel de qualidade superior. Hoje ficam no hotel mais barato que houver.

Conclusão

Para concluir, termino com uma frase que Álvaro Costa referiu e que na profissão de Jornalista, ou mesmo senão em todas as profissões, deve ser tida sempre em consideração: “o segredo para o falhanço é querer agradar a todos”.

 

Tânia Aguiar

publicado por taniaaguiar às 19:57

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO