Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

07
Abr 11


O Público e O Jogo, do dia 5 de Abril de 2011, foram os jornais sobre os quais recaiu a minha escolha. O primeiro é um jornal generalista que aborda diversos temas de interesse geral e o segundo é um jornal especializado com uma subespecialização dentro da sua especialização. É um jornal desportivo com maior destaque no futebol.

 

                                                                                

 

Análise comparativa da 1ª página dos dois jornais


Os dois jornais têm aspectos gráficos muito diferentes que ressaltam à vista logo na 1ª página, mas esta divergência não se manifesta só a este nível, está presente também no vocabulário utilizado, nas cores e na própria organização da informação apresentada.

Na 1ª página do Público destaca-se ao centro, na parte superior, o título da notícia principal com letras grandes e mais abaixo algumas caixas de texto com títulos a negrito acompanhados por leads. Estes títulos são bastante sugestivos, compostos por frases objectivas e afirmativas. Já O Jogo, possui títulos mais ambíguos e com trocadilhos de palavras. Os títulos que se referem ao FCP são positivos e gloriosos - “Hulk quer Bingo”, mas os que se referem aos outros dois clubes portugueses principais (SLB e SCP) são pejorativos ou pouco simpáticos. Relativamente ao SLB, podemos ler o seguinte “Bruno César «arrasta a bunda no chão»”; e quanto ao SCP “Nuno Gomes «adeus» à Luz de muletas” ou “Leão ingénuo e sem cabeça para segurar resultados”. Os títulos surgem em letras grandes, gordas e coloridas. Citações breves aparecem entre aspas em letras grandes e apelam à leitura do resto da notícia no interior do jornal.

O destaque deste jornal vai para a vitória do FCP contra o SLB no Estádio da Luz, na noite anterior à edição deste jornal, e as chamadas à 1ª página dizem respeito aos três clubes principais do país, com maior ênfase dado ao FCP. O Público destaca como notícia principal do dia, a possibilidade de empréstimo de curto prazo, por parte de Bruxelas, a Portugal. As chamadas à 1ª página referem-se a títulos de notícias recentes, notícias desenvolvidas no suplemento do jornal ou notícias breves com informação da agenda-setting.

A organização da informação nesta 1ª página do Público dá-se de uma forma clara e objectiva. A informação aparece separada e permite a distinção entre os temas e os assuntos enunciados. Tem pequenas chamadas com títulos, antetítulos ou subtítulos e leads, e caixas de texto com antetítulos a amarelo, títulos a negrito e leads que apelam à leitura das notícias no interior da edição. Aqui a informação aparece dividida, basicamente, em três grupos. Na parte superior, a barra é amarelada e contém o nome do jornal e mais algumas informações relativas a este (preço, data, etc). Contém também alguns títulos de notícias recentes e de interesse geral, assim como, outros que surgem a amarelo e a vermelho e reportam para notícias do suplemento dessa edição. Na parte central, destacam-se as notícias da ordem do dia, neste caso, a crise política e económica do país. Um título a negrito com uma breve sobre o empréstimo de Bruxelas e uma fotografia, com título a laranja e branco, de dois líderes políticos portugueses. Na lateral direita, encontram-se pequenas caixas de texto com títulos destacados e referência às páginas das notícias. A parte inferior, diz apenas respeito à publicidade do jornal.

A organização da informação na 1ª página d’O Jogo é feita de uma forma mais confusa com recurso à sobreposição de informação (imagens e frases), apesar de poder observar-se também, como no jornal Público, três grupos de informação separados. A barra superior, contém informações sobre o próprio jornal e sobre a oferta especial dessa edição, o poster dos jogadores do FCP. A barra central, destaca as notícias da ordem do dia, especialmente a vitória do FCP em Lisboa com uma fotografia do Hulk que ocupa quase a totalidade da página dando origem a uma grande mancha gráfica. Nesta zona a informação, acerca dos três clubes, aparece distinguida com separadores com a cor correspondente de cada clube e respectivos nomes. A parte lateral direita, é preenchida por duas pequenas colunas com fotografias dos jogadores e treinador do SLB e do SCP, acompanhadas por títulos a negrito. A barra inferior, diz respeito à publicidade do jornal.

No geral, a 1ª página d’O Jogo pode dizer-se que é bastante colorida e atractiva. Contém imagens muito expressivas que apelam à emotividade do leitor, mas o excesso de cor e o grafismo exagerado nem sempre jogam a favor daquilo que se pretende transmitir ou daquilo que o público espera de um meio de comunicação. O Público, ao contrário, apresenta uma mancha gráfica mais limpa e sóbria que permite a distinção clara da informação. Não abusa da cor nem do excesso de imagens e texto.

Relativamente à publicidade que surge na 1ª página dos jornais, o Público faz referência na parte superior da página à colecção de livros associada à venda do jornal e reserva a barra do fundo para a publicidade paga, anunciando a Paper Gift que se encontra na Feira Internacional de Lisboa. O Jogo faz publicidade à Sport TV na barra do fundo da página e na parte superior publicita a oferta de um poster com os jogadores do FCP, que vem no interior do jornal.

 

Análise do conteúdo informativo dos jornais


Em destaque, encontra-se no Público a crise política em Portugal com a informação organizada de forma bastante clara, estruturada por secções e blocos de texto. N’O Jogo destaca-se a vitória do FCP no Estádio da Luz, mas a informação surge um pouco mais desorganizada com textos e imagens sobrepostos a criarem confusão visual. Este efeito não permite que a informação “respire” e cria uma necessidade, ao longo do jornal, de preencher com letras ou imagens todos os espaços livres das páginas. A leitura do jornal torna-se cansativa com o excesso de informação, de caixas de textos, de gráficos, de tabelas, de fotografias, de números, de estatísticas, de classificados do futebol, de estudos de opinião, etc… A mancha confusa de cores vivas, de títulos e de imagens sobrepostas gere uma amalgama de informação. Todas as páginas do jornal são coloridas, excepto as que se referem ao SLB, à Liga Orangina de Santa Maria da Feira e ao futebol internacional. O jornal Público, em contrapartida, acaba por se tornar mais agradável graficamente e por facilitar a leitura/percepção da informação. Todas as fotografias são a cores, no entanto, a utilização da cor é mais sóbria. A informação é segmentada por blocos e colocada de forma padronizada ao longo do jornal, tornando a sua exposição coerente, e a parte superior das páginas é complementada com informações menos relevantes (imagens, endereços de sítios da internet, fotografias ou desenhos com legendas, etc).

O Público tem um vasto leque de secções que permitem facilitar a organização e a consulta da informação, assim como titular as páginas separando os diversos temas (Destaque, Portugal, Mundo, Economia, Local Porto, Classificados, Desporto e Espaço Público). Estas secções podem ser ainda divididas em subsecções que tratam de determinados assuntos mais concretos. Assim, temos como subsecção de Destaque a Crise; de Portugal, temos a Cimeira e a Pobreza; do Mundo, a Revolta do Mundo Árabe, a Campanha eleitoral dos Estados Unidos e o Acidente do Air France de 2009; da Economia, as Queixas contra a TAP; do Local Porto, o Cluster que apoia o sector criativo; e do Desporto, o Futebol, o Futebol Internacional, o Perfil, a Liga dos Campeões, o Ciclismo e o Ténis.

N’O Jogo podemos encontrar nas secções do jornal temas como: Futebol Nacional, Opinião, Futebol Internacional e Modalidades. Dentro do Futebol Nacional temos variada informação sobre os clubes portugueses com maior destaque que são: o FC Porto, o SLB, o SCP, o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães; dentro da Opinião, temos Os Figurões, o Despautério da Semana, O melhor da Jornada e O pior da Jornada; do Futebol Internacional, destacam-se o Ronaldo, o José Mourinho, o Carlos Queiroz, o Liedson e o Real Madrid; e das Modalidades, o Basquetebol, a Vela, o Ciclismo, o Andebol, o Voleibol, o Golfe, o Pólo Aquático e o Moto GP.

Nestas secções d’O Jogo podemos ler peças de repórteres especializados em determinadas matérias que emitem opiniões sobre determinados temas ou fazem notícias a partir de certos assuntos. Já no Público, julgo que a transmissão da informação é efectuada de forma mais objectiva, mais directa e mais isenta de opinião. É feito muitas vezes um enquadramento histórico, circunstancial ou social dos assuntos relatados. Os textos são também por vezes ilustrados com citações de personalidades de que falam ou com referência a dados históricos precisos. Utilizam, essencialmente, a notícia como principal género jornalístico para relatar os acontecimentos, mas também publicam editoriais, artigos de opinião, comentários, breves e cartas de leitores. O Jogo utiliza também alguns destes géneros jornalísticos, como a notícia, os artigos de opinião, as breves e os comentários, mas também alguns fait-divers.

Os títulos deste jornal desportivo são na sua maioria bastante criativos, fazendo uso de trocadilhos humorísticos, como: “Villas-Boas inatingível e Domingos bate Jesus”, “Chuto na tradição”,  “Duarte Gomes escolheu Otamendi para patinho feio” e “Um milagre bastardo”. As páginas estão repletas de títulos deste género, coloridos e de diversos tamanhos. A construção das notícias é feita por blocos de texto adossados a outros textos ou imagens. Algumas notícias têm título, lead e corpo de texto em blocos. Existem ainda, várias caixas de texto por todo o jornal. O vocabulário utilizado é específico de um jornal especializado e a linguagem é, normalmente, corrente e com marcas de oralidade.

O Público prima pelo uso de um vocabulário acessível mas mais cuidado, com construções frásicas elaboradas mas perceptíveis e com recorrência a citações exemplificativas, cuidadosamente identificadas. Títulos, na sua maioria, directos, originais e elaborados. Com grafismo destacado e apelativo, em negrito e em letras grandes. Diversos títulos que se destacam ao longo das páginas, estão colocados a laranja ou a vermelho. Nas secções, estão bem destacados no canto superior esquerdo das páginas. A construção mais comum da notícia é feita em pirâmide invertida (antetítulo, título, lead e corpo de texto). A construção do corpo de texto surge em blocos ordenados orientados ao longo das imagens, quando estas existem. As caixas de texto têm fundos coloridos que se distinguem na mancha da página.

 

Pontos comuns e Pontos distintos

 

Reconheço, apesar de todas as diferenças enunciadas acima, que existem algumas características comuns entre estes dois jornais.

A que destaco em primeiro lugar, está relacionada com a 1ª página destes jornais e diz respeito à organização gráfica da informação que é colocada em três blocos horizontais. A segunda tem a ver com a produção de informação, pois também os dois acabam por produzir informação para um tipo de público específico. O Jogo destina-se a um público-alvo que procura informação especializada numa matéria, desporto. Os leitores do jornal Público podem ser também considerados um público específico, porque apreciam notícias provenientes de fontes seguras, escritas de uma forma cuidada e credível. Por fim, ambos utilizam alguns géneros jornalísticos em comum.

Os pontos em que estes jornais se distinguem estão relacionados com o facto de, no caso do Público, abordar temas mais diversificados, ter mais cuidado com o vocabulário que utiliza, dirigir-se tanto ao público feminino como ao masculino e, ao contrário d’O Jogo, não produzir informação sensacionalista. O Jogo aborda temas mais específicos e é um pouco sensacionalista na forma como trata a informação porque apela às emoções dos leitores. Acima de tudo, dirige-se a um público maioritariamente masculino, aos apreciadores de futebol português, especificamente do FCP e utiliza uma linguagem mais corrente e acessível.

 

Por: Lícia

 

 

 

 

publicado por líciacunha às 10:45

Correção ao texto: Nuno Gomes deveria estar associado ao SLB e não SCP
líciacunha a 13 de Abril de 2011 às 17:54

Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
30


pesquisar
 
blogs SAPO