Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

02
Mai 11

 

Paula Martinho da Silva, jornalista especializada na área da moda, foi a 3ª convidada da aula de Jornalismo Especializado. Cruzando moda e economia, a jornalista deu a conhecer à turma um pouco do trabalho que tem vindo a desenvolver, nomeadamente na RTP.

 

Poderia dizer-se que há dois tempos distintos: antes de Paula e depois de Paula. A jornalista levou a cabo uma verdadeira transformação na forma como a moda é tratada, no âmbito da informação. Longe dos estereótipos que associam contornos de futilidade e luxúria a esta área, escolhe ângulos diferentes dos habituais para as suas reportagens, abrindo caminho a novas abordagens.

“A moda faz parte de todos nós”, afirma Paula, justificando a procura do público por esta temática. Com efeito, a divulgação de eventos como desfiles e salões internacionais tem vindo a crescer, tal como o seu espaço nos conteúdos informativos. Se há cerca de alguns anos as notícias referentes a moda eram deixadas para último plano, hoje isso mudou e contam com uma projecção muito maior e abrangente. Prova disso é o trabalho de Paula, que vai além fronteiras, quer terrestres quer mentais.

Todos os anos viaja até às principais capitais da moda, em busca das novas tendências, sem deixar de estar atenta a muitas outras questões presentes neste panorama. Ao longo da carreira, a jornalista trouxe um importante contributo para a indústria nacional, especialmente no ramo têxtil e do calçado. Dando visibilidade a criadores e empresários portugueses, conseguiu ilustrar a raíz do grande entrave à criação de marcas globais em Portugal: “os portugueses desvalorizam o que é nacional e há falta de consciencialização, por parte dos fabricantes, da importância do design”. O país, apesar da falta de investimentos, mantém ainda uma forte tradição de qualidade na confecção. Porém, a maior capacidade financeira de outras marcas europeias, faz com que os empresários nacionais continuem a produzir para estas, quando deveriam estar a investir na criação de uma marca própria.

Forma-se um ciclo vicioso que por sua vez leva a uma situação muito comum: quem nunca saiu à rua e encontrou alguém com uma peça de vestuário exactamente igual a que está a usar? Este foi o mote que inspirou Paula a explorar o conceito do fast fashion e o universo das marcas globais, na reportagem “Tenho uma blusa igual”. Através de uma incursão ao império Inditex, símbolo da democratização da moda no Mundo inteiro, acompanhou de perto todo o processo pelo qual passa uma camisola: desde a confecção em Portugal, passando por Espanha para ser distribuída em várias lojas Zara por todo o Mundo, inclusive no nosso país.

 

Após a visualização da reportagem, seguiu-se uma breve troca de ideias entre alunos e jornalista, finalizando assim a sessão.

 

Por Ana Azevedo

publicado por anaclaudiaazevedo às 18:00
tags:

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
18
19
20
21

25
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO