Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

23
Mai 11

Broadcast News é um filme de 1987, cujo argumento e realização se devem a James L. Brooks e que conta com William Hurt como intérprete da personagem principal (Tom Grunick). O filme consiste numa comédia romântica que relata as histórias profissionais e amorosas do trio formado por Jane Craig, uma produtora televisiva, Aaron Altman, um repórter, e Tom Grunick, um “pivot âncora” de telejornal. Broadcast News descreve o estilo de vida dos profissionais da televisão e as relações entre estes, literalmente, “nos bastidores das notícias”. Relata a história de três personagens com personalidades, atributos e objectivos bastante distintos, que trabalham juntos na mesma estação de televisão em Washington. 

 

                                            

 

Ao contrário dos filmes, “The Insider” e “All the President’s Men”, que transmitem um ambiente mais denso e aprofundam mais o trabalho exaustivo do jornalismo televisivo, Broadcast News é um filme cómico e mais ligeiro que mostra de uma forma mais soft, o ambiente vivido numa estação televisiva americana nos anos 80. No entanto, não deixa de ser um bom relato do tipo de conflitos que podem surgir neste meio profissional. Disputas, pessoais e profissionais, que ocorrem entre as três personagens principais do filme. As relações amorosas, os conflitos de interesses, o profissionalismo e a competência intelectual das personagens e as estratégias empresariais do meio televisivo, são apenas alguns dos elementos que contribuem para os conflitos.

 

Nos bastidores da notícia

Broadcast News tem início com a apresentação das três personagens principais enquanto crianças. Este início mostra de forma divertida alguns pormenores das personalidades de Tom, Jane e Aaron, que revelavam já na infância muita aptidão para a comunicação. O gosto pela escrita, pela pesquisa, pelo conhecimento e pela exposição pública, são alguns dos factores evidenciados pelas personagens enquanto crianças nas cenas iniciais do filme. Três personagens com personalidades muito diferentes e muito peculiares, cuja determinação e ambição provaram ser determinantes para o alcance dos objectivos idealizados. 

 

Jane é uma pessoa com um temperamento particular e com uma certa tendência depressiva, que trabalha como produtora numa estação de televisão juntamente com Aaron, um talentoso repórter e produtor de conteúdos informativos para telejornal. Tom é um elegante cavalheiro que acaba por se juntar ao grupo, ocupando a posição de pivot da mesma estação. Jane que a princípio manifesta desagrado pelo tipo de trabalho produzido por Tom, acaba por se apaixonar por ele e por o ajudar a catapultar-se para o sucesso televisivo. Aaron, que mantém uma paixão secreta e não correspondida por Jane, é surpreendido negativamente, pela paixão de Jane por Tom e pelo sucesso que este último obtém no circuito mediático. Aaron é uma personagem muito talentosa e com um grande conhecimento geral, que sempre ambicionou uma carreira de pivot televisivo e que, por isso, não consegue tolerar o duplo sucesso alcançado por Tom. No entanto, a Aaron, ao contrário de Tom, falta-lhe o carisma necessário para cativar o público. Tom é atraente e fotogénico, conhece técnicas profissionais que Aaron desconhece, mas não tem um conhecimento geral tão aprofundado e lato quanto o do repórter. Acaba por se apaixonar por Jane e por tentar estabelecer uma relação mais próxima com ela, mas são as suas técnicas e a falta de ética profissional que acabam por os afastar. No final do filme, estas três personagens perdem quase o contacto entre si porque acabam todas a trabalhar separadas em locais diferentes.

 

Jane, Aaron e Tom

Jane é uma produtora de televisão muito enérgica, ambiciosa, eficiente e determinada, amiga íntima e colega de trabalho de Aaron, um repórter televisivo muito competente, inteligente e com imenso talento para a escrita. Tom Grunick é menos inteligente que Aaron, mas mais bonito e charmoso, e com um jeito especial para a representação e para a exposição pública. Devido a estas características consegue atingir rapidamente uma boa reputação na televisão.

 

As três personagens, apesar de muito diferentes, complementam-se na história porque, apesar de umas saberem ou terem o que as outras não sabem ou não têm, partilham entre si essas competências. Como trabalham juntas no mesmo local trocam conhecimentos e cooperaram profissionalmente. Não fora o conflito entre as três personagens, especialmente, entre Aaron e Tom, e o despedimento massivo que a empresa televisiva teve que por em prática, muito provavelmente, não se teriam separado profissionalmente.

 

Relação entre Tom e Jane

Broadcast News evidencia a questão da televisão privilegiar a imagem em prol da transmissão séria e neutra da informação, isto é, privilegia o estilo em lugar do conteúdo. Tom representa o tipo de apresentador de televisão de “notícias de entretenimento” que Jane despreza. Ele encena as suas reportagens, recorrendo à emotividade e não à espontaneidade. Não é sincero na apresentação do seu trabalho e acaba por infringir a ética profissional. Exemplo disso, é a gravação de uma reportagem acerca da violência nas relações amorosas efectuada por Tom, em que este puxa a lágrima e encena totalmente uma expressão de pesar, já depois da gravação e do relato da vítima terem sido gravados. Tom consegue alcançar êxito como pivot do telejornal e como repórter, não graças às suas competências intelectuais mas sim à sua vocação para a representação. É um bom actor que consegue convencer o seu público através da emotividade, da representação de sentimentos que parecem naturais e sinceros.

 

Jane é sensível e admite perante Tom que lhe agrada numa reportagem o estilo emotivo, mas essa emoção tem de surgir naturalmente não pode ser forçada nem ensaiada. Para ela uma reportagem tem que transmitir a realidade dos factos e tem de ser natural. O repórter não deve influenciar ou modificar a realidade que pretende transmitir ao público. Um exemplo disto, é o momento em que Jane se prepara para fazer uma reportagem junto de uns militares que se preparam para uma guerrilha. Um deles está descalço e alguém lhe diz para calçar as botas para ser filmado para a televisão, mas nesse momento Jane interfere e pede ao homem para agir mediante a sua vontade e para se calçar apenas se assim desejar. 

 

Jane, além da eficiência e da celeridade, procura ser isenta e imparcial no trabalho que faz. Estas características conferem-lhe o estatuto de boa profissional e a promoção no meio televisivo onde trabalha. Tom alcança, igualmente, estes valores mas através do caminho oposto. A sua eficiência é obtida através da encenação e da representação, do artifício. O seu mérito não provém nem da inteligência nem da sinceridade, mas sim da sua apresentação física e da sua capacidade para ludibriar os telespectadores. Ambos alcançam êxito profissional através de caminhos diferentes. Tom mais ligado à representação dos factos e Jane mais ligada à apresentação dos factos. 

 

Apesar das visíveis diferenças entre Jane e Tom, a determinada altura ela acaba por se apaixonar por ele e essa paixão ser tornar correspondida. Mas as diferenças acabam por ser tão acentuadas que não conseguem deixar de interferir na relação e de ser o mote da separação deles. Jane passa a desconfiar dos verdadeiros sentimentos e intenções de Tom em relação a ela e aos outros, à sua prestação profissional.

 

Relação entre Tom e Aaron

Tom e Aaron representam tipos diferentes de personagens, tipos quase opostos. Tom é bonito, tem charme, é fotogénico, conhece técnicas e truques de postura televisiva e lida de forma natural com a apresentação pública, ao ponto de até conseguir recriar sentimentos. No entanto, é pouco inteligente, tem pouco conhecimento geral acumulado e tem pouca experiência profissional na área da televisão. Pois, quando inicia o seu trabalho na estação televisiva onde Jane e Aaron trabalham, tenta aprender e adquirir experiência observando Jane durante o seu trabalho como produtora. No entanto, Tom consegue atingir rapidamente o sucesso no meio televisivo como pivot, graças aos seus dotes físicos, à sua à-vontade em frente às câmaras e ao seu estilo de apresentação da informação, isto é, à sua tendência para o drama ou recorrência à emotividade.

 

Aaron é um talentoso repórter jornalístico que trabalha nos bastidores da televisão. Tem uma vasta experiência como repórter e tem um enorme capital de conhecimento acumulado. É uma pessoa bastante inteligente e que está à-vontade para discutir qualquer tema. Aaron é muito competente na área da produção escrita de notícias e almeja conseguir um dia tornar-se pivot de televisão. Quando lhe é dada essa oportunidade, Aaron revela um enorme fracasso em frente às câmaras. Começa a suar ininterruptamente por todos os poros do seu corpo, ao ponto de ficar completamente encharcado e de por em alvoroço todos os assistentes que se encontravam no estúdio. A oportunidade que lhe é dada para mostrar o seu talento como pivot não podia correr pior do que correu. Aaron revela-se então, um homem inteligente mas sem vocação para a apresentação em público, exactamente o oposto de Tom. Trata-se de dois homens que alcançam o sucesso profissional através das suas competências profissionais específicas, mas que quando tentam fazer o trabalho do outro obtém resultados negativos. Pois Tom valoriza mais o estilo, e é esse estilo que lhe confere êxito, e Aaron valoriza mais o conteúdo, a produção de conteúdos informativos. Cada um deles possui aptidões diferentes para desempenhar a sua profissão e para alcançar o sucesso.

 

Relação entre Jane e Aaron

Aaron e Jane são amigos e têm uma relação sólida e estável. Trabalham juntos e já se conhecem há largos anos. Têm uma relação aberta que lhes permite contar tudo um ao outro. Jane desconhece que Aaron mantém uma paixão secreta por si e só descobre isso quando lhe conta que está apaixonada por Tom. A partir desse momento começam os problemas entre os dois. 

 

Aaron que já não tinha uma opinião muito favorável em relação a Tom, quando descobre que Jane está interessada por ele, essa impressão ainda piora. Aaron passa a ter de lidar com dois aspectos negativos em relação a Tom, o facto de lhe ter sido proposto ser pivot do telejornal, que era algo que ele ansiava há imenso tempo, e de ter obtido êxito nessa função, e o facto dele ser a pessoa por quem Jane estava apaixonada. 

 

A relação entre Aaron e Jane transforma-se, deixa de ser tão próxima mas não termina. Eles separam-se profissionalmente mas ao fim de uns anos encontram-se e demonstram que continuam amigos.

 

Estratégias empresariais da televisão

Broadcast News transmite o ambiente que se vive numa estação televisiva e também mostra a que tipo de remodelações pode estar sujeita uma empresa deste género. A determinada altura a empresa onde trabalham as três personagens principais, sofre uma transformação e muitos dos seus colaboradores são despedidos. Jane e Tom fazem parte do grupo das poucas pessoas que acabam por sair beneficiadas com a mudança. Este dois são promovidos, apesar de Tom não se aperceber disso logo à partida. Apesar deste pensar que tinha antes sido despromovido por ter sido transferido para a estação televisiva de Londres e de ter que ser, mais uma vez, Aaron a “traduzir-lhe” as alterações que lhe foram comunicadas pelo seu chefe. A transferência de Washington para Londres correspondia a uma promoção e não a uma despromoção. Aaron não teve tanta sorte quanto os outros dois. Apesar de não ter sido dispensado foi despromovido. Foi-lhe proposto trabalhar mais por menos dinheiro. 

 

Para além das relações amorosas e profissionais e das aptidões pessoais e profissionais das personagens, o filme foca ainda as estratégias empresariais que ocorrem também no sector da televisão.

 

Por: Lícia

 

 

publicado por líciacunha às 19:20

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
18
19
20
21

25
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO