Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

27
Mai 11

 

 

 

Dardos ou setas como lhe chamam, é o nome dado à modalidade desportiva, que consiste no arremesso de dardos contra um alvo circular. Ganhou popularidade mundialmente, passando de uma modalidade amadora para profissional.

 

  

A seta ou dardo era feita de um pedaço de madeira com quatro centímetros de comprimento, acabado numa ponta em metal e na outra colocavam-se penas, para facilitar o voo. Foi também durante esse tempo, que o sistema de numeração nas tampas de barris e a distância no arremesso foi criado e ganhou aceitação. Por volta, do final do século XIX, o jogo tornou-se como nós o conhecemos hoje. 

Em Inglaterra, os dardos foi considerado um jogo ilegal (jogo de azar), até 1908, quando um proprietário de um bar, foi presente a tribunal por ter desafiado a lei. Perante o juiz, o arguido munido com um alvo e dardos foi capaz de demonstrar, que este jogo era de facto um jogo de habilidade e não de azar. 

Com a popularidade que esta modalidade alcançava, os proprietários dos bares começaram a instalar alvos nos seus espaços, e facilmente, foram surgindo ligas e organizações. Esta evolução deu-se de tal forma, que no seculo XX os torneios anuais realizados em Inglaterra, tiveram coberturas jornalísticas pelo jornal News of the World, impulsionando ainda mais a popularidade. 

Foi também durante esse período, que a fama se estendeu a países como a Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, abrangendo coberturas televisivas de torneios. 

Com este mediatismo, a modalidade tranformou-se numa vertente desportiva com alguma seriedade, com jogadores profissionais, originando a proliferação de grandes organizações nacionais que administravam os torneios e entusiasmavam também mais patrocinadores.

 

A primeira dessas organizações foi a British Darts Organization (BDO), fundada em 1973 e três anos mais tarde, foi criada a Federação Mundial de Darts (WDF) que reúne todas as organizações mundiais e rege a modalidade. 

 

Os avanços tecnológicos não tem ignorado esta modalidade, e hoje, também existem alvos electrónicos. 

 

 

 

 Introdução à modalidade

 

O Alvo

 

Deve ser fixo a uma altura de 1,73m (medidos na vertical, do centro do alvo à superfície do solo de onde se lançam as setas). O separador de jogo ou “OCHE” (pronuncia-se “ÓKI”) deverá distar 2,37m em linha recta, que são medidos desde a face posterior da barra (onde se encosta o pé) até à linha imaginária contínua à face do alvo. Estas são as medidas oficiais, às quais obedecem os maiores e melhores eventos de setas, organizados mundialmente. A escolha do local para a colocação do alvo também é essencial, porque como as setas ressaltam em ângulos imprevisíveis, área de jogo deve ser mantida afastada de qualquer zona de movimento para diminuir o risco de acidentes. No piso onde se joga, é necessário fixar a barra ao solo, mantendo o espaço para um marcador de pontuações (giz, marcador, lápis de cera) visível da barra de lançamento. A luz apropriada para cada alvo é um pormenor muito crítico, pois é importante que o jogador consiga ver exactamente onde a seta acertou, sem se mover da barra de lançamento.  

A escolha das setas O peso e a forma das setas variam muito, pois, cada modelo tem um comportamento distinto quando é jogada, não havendo uma regra definida para cada jogador. 

 

Regras Básicas de um jogo 

É normal, ver os jogadores a cumprimentarem-se com um aperto de mão, no início e no final da partida, que pode ser disputada de diversas formas.

 

As mais comuns são: Um jogador contra outro, o que é conhecido como "singular" ou em equipas de dois jogadores por equipa, a que vulgarmente é chamada de "pares". O número de partidas num jogo é sempre impar, geralmente 1, 3, 5, ou 7 (podendo ser variável segundo regulamento) e as provas são disputadas à "melhor de 5 "partidas". Isto significa, que o primeiro jogador ou equipa a ganhar 3 partidas vence o encontro. Os jogadores alternam a vez e se termirar a partida com a primeira ou segunda seta, as restantes não serão jogadas. Convém referir que cada elemento possui três setas para lançar.

 

Os jogos em competição oficial começam com a pontuação de 501 para ambos os jogadores, a não ser os disputados por "pares" (701). O objectivo é pontuar o máximo possível para atingir o valor "zero" mais rápido que o seu adversário.

 

Cada partida deve ser concluída com um número "duplo", ou seja, qualquer uma das secções do anel exterior do alvo, o número conta a duplicar (o centro do alvo, ou "bull" também é considerado como número duplo), desde que tenha o valor exacto que o jogador necessite para atingir os zero pontos.

Os jogadores que pretendem evoluir na modalidade, deverão estar habilitados de uma boa forma física, para aguentarem longos períodos de treino (alguns mais de 2 horas por dia), por isso concentração e resistência são a chave do sucesso.

  Cobertura Televisiva 

Após a primeira cobertura televisiva (Lada UK Masters, transmitido pela Anglia Television, em 1992) desta modalidade, a Sky Sports assinou um contrato de exclusividade, para transmitir três eventos anualmente, de forma a rentabilizar o seu investimento, este canal introduziu um variado número de técnicas inovadoras que tornaram estas transmissões mais atractivas para os telespectadores. Outrora esses eventos eram transmitidos pela BBC2 através de excertos, incluídos em rubricas de outros programas de desporto generalistas. A Sky Sports, canal exclusivamente desportivo, que começou a difundir os jogos na íntegra com mais de dez horas por dia de transmissão.

Em cada intervalo comercial, a Sky Sports incluia o tema "Chase the Sun" dos Planet Funk tornando-se num hino para todos os fãs de setas.

 

 

Actualmente, a Sky Sports transmite 6 grandes Torneios por ano na Inglaterra e Irlanda, que são transmitidos também na Australia, Alemanha, Hungria, Japão, Holanda, Singapura, África do Sul e USA.

Cãmaras de TV A Sky Sports introduziu cãmaras específicas para captarem imagens do vôo das setas em câmara lenta, produzindo imagens únicas e surpreendentes. Uma mini cãmara é embutida no próprio alvo, permitindo a visualização da seta a voar e outra para captar o jogador em posição frontal. A Sky Sports já chegou a colocar câmaras nas camisas dos jogadores, de modo a podermos ver a sua perspectiva enquanto joga.

                                                                                Camara no alvo
Espalhadas pelo recinto, existem algumas cãmaras operadas por gruas, que voam sobre o público captando as suas reacções, levando-o ao rubro, chegando a levantar placards humorísticos com expressões de apoio aos jogadores. Alguns fãs mais entusiastas, chegam a fazer pinturas na cara e a vestirem-se com roupa similar à dos seus ídolos. Esta modalidade conseguiu atraír também uma audiência mais jovem e de ambos os sexos. Ao longo dos anos, tornou-se comum vermos políticos, músicos, jogadores de futebol, de boxe e de outros desportos a assistirem ao vivo a estes eventos.  

 

O que eu não faço para aparecer na TV Ao rubro 

Os jogadores são apresentados e conduzidos por senhoras até ao palco, desfilando pelo meio do público (rodeados de seguranças), ao som de um tema musical à sua escolha que se torna como uma "assinatura". É adicionado ainda mais ênfase a este ritual ,através dos efeitos criados por máquinas de fumo e de robots com flashes luminosos de várias cores, similarmente ao que se faz no boxe ou no wrestling.   

       John Part

 

Devido à quantidade de potência de luz, e ao elevado número de  pessoas  no recinto, em alguns encontros a temperatura  chega a  atingir os 50ºgraus, para prevenir a desidratação, os jogadores enquanto só  podem  beber água. Isto visa melhorar a imagem da  modalidade, denegrida por alguns jogadores por consumirem grandes quantidades de  álcool.

Água para evitar a desidratação

 Dentro dos recintos, os jogos são projectados em ecrãs gigantes de modo à assistência poder vibrar com a colocação exacta das setas no alvo.Paineis gigantes

 

 A modalidade em Portugal 

A modalidade das setas é praticada em Portugal, de forma organizada, há já alguns anos, e está implementada como em todo o mundo, sob a égide da Wold Darts Federation (WDF) promovendo provas em vários países, desdobradas em duas vertentes da modalidade, sisal e electrónico. Regido pelo Instituto do Desporto de Portugal, O Comité Olímpico e a Confederação do Desporto em Portugal e dividide-se em associações por regiões: Associação de Setas de Lisboa; Associação de Setas do Porto; Associação de Setas da Zona Oeste; Associação de Setas de Setúbal; Associação de Setas de Santarém, Associação de Setas do Ribatejo e Associação de Setas do Algarve. O campeonato está dividido por equipas pela 1ª,2ª e 3ª Divisão, onde é apurado um campeão regional por divisão, que irá disputar o respectivo título nacional com os restantes campeões regionais, nas finais nacionais. Em paralelo são também organizadas provas de rankings, nas especialidades de singulares femininos e masculinos, pares femininos e masculinos, pares mistos, juniores masculinos e femininos e ainda um torneio de capitães, aberto a todos os capitães das equipas. Estas provas, só para sócios, são disputadas com a finalidade de apurar um determinado número de jogadores, em cada uma das diferentes especialidades, para competirem o respectivo título absoluto, nas finais nacionais. 

As finais nacionais são provas realizadas anualmente, com responsabilidade organizativa alternada entre todas as associações. Durante este torneio, os apurados das diferentes associações jogam entre si, definindo-se assim os campeões nacionais de cada uma das diferentes especialidades em disputa. 

O campeonato de máquinas está dividido por duas divisões, e são realizados Campeonatos Ibéricos e Mundiais de Setas Electrónicas, organizados pela marca Bullshooter e Radikal, jogando-se por equipas ou individualmente. Nas setas electrónicas organizadas pela Bullshooter, Portugal em 2010 já teve os seus palmarés na representação do título mundial no Japão por equipas, obtendo a terceira posição como classificado mundial e o primeiro lugar europeu.

 

Setas reconhecidas como Desporto

 

Em Inglaterra, após uma luta rigorosa com o Ministério da Cultura pelo reconhecimento das setas, a grande notícia, surgiu a 25 de Março de 2005. O estatuto de desporto para as setas deve-se a Bob Russell, promotor do Ministério Público que promoveu esta causa, levando-a a discussão no Parlamento.

 

Este anúncio surgiu, vinte quatro horas após Phil Taylor, Colin Lloyd e Bob Anderson (profissionais ingleses da modalidade) se terem encontrado com cinquenta promotores do MP, numa exibição de setas especialmente organizada nos edifícios do Parlamento. O DVD que acompanhou a apresentação não só foi realizado com a participação de alguns jogadores profissionais (homens e senhoras) como também contempla imagens recolhidas em eventos para jovens, que foram parte integrante duma campanha governamental onde demonstravam interesse neste desporto. A acompanhar toda a informação, ainda continha um estudo recente que revelava que uma grande percentagem de pessoas residentes em certas áreas, praticavam esta modalidade, mais frequentemente do que futebol, râguebi, ou cricket (jogos de massas no reino unido). O capitão da equipa Inglesa Martin Adams e um dos seus companheiros Mervin King foram usados como “medidores de distância” durante os campeonatos mundiais de profissionais, de modo a poderem mostrar o lado físico das setas. Durante o seu percurso até à final, Martin Adams percorreu um total de 25.37 kilómetros, tendo registado um total de 33310 passos a jogar e recolher as suas setas!

 

Em declarações ao “Planetdarts”, o presidente da PDC, Barry Hearn, terá dito, “É uma grande notícia para os nossos jogadores que poderão ser vistos agora oficialmente como atletas apropriados, que é o que merecem pelo trabalho duro e dedicação demonstrada semana após semana. Isto ajudar-nos-á a continuar e a levar as setas ao nível seguinte…”

 

Em nome do desporto Inglês, o executivo Roger Draper, anunciando a notícia, declarou: “As setas são um desporto jogado por muitos milhares de pessoas em todo o país. A apresentação das setas como um jogo de pub ajudou a popularizar o seu culto mas a realidade é que são jogados em vários locais, que variam das escolas às casas de espectáculo, aos clubes sociais e aos centros desportivos”.

 

Foram também cruciais para o sucesso desta apresentação, as regras bem definidas, assim como todo o seu regulamento e filosofia, desde a política anti-dopping, código de indumentária, e por não permitir fumar e beber álcool aos seus jogadores, oficiais e colaboradores.

Até à data de hoje, somente a Inglaterra reconheceu e classificou as setas como um desporto, agora a próxima batalha é a introdução para modalidade olímpica, já para 2012.

Por: Anabela Pestana  (praticante profissional da actividade desde 1997)

 



 

 

 

publicado por anabelapestana às 21:16

ola Anabela:

Adorei toda a exposição que fizeste sobre as setas, esta simples e de fácil compreensão a qualquer leigo que não tenha a noção do que são as setas ou dardos, acho que esta muito boa digna de se colocar em livros e cadernos para as pessoas terem um noção do que é as setas.
Só te vou actualizar uma informação que podes não ter conhecimento, já existe alem da ASL , outra associação de setas chamada de AND -ASSOCIAÇAO NACIONAL DE DARDOS, faz 3 anos no dia 20 de MAIO de 2012, ainda é uma criança em relação as outras associações , mas já tem cerca de 650 sócios.
Esta nova associação tem divulgado o mundo das setas em Lisboa e no resto do nosso pais, e ainda alargou os seus horizontes até a MADEIRA, onde tem 2 divisões de 12 equipas, e ja se fizeram 5 opens na MADEIRA.
A partir do dia 1 de Outubro de 2012 iremos reabrir um novo site da AND todo remodelado com a designação www.and.pt , se quiseres consultar e ver aquilo que a AND tem feito penso estar la muita informação .


Alcides Ambrósio
alcides ambrosio a 25 de Setembro de 2012 às 08:53

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
18
19
20
21

25
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO