Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

13
Abr 12

O filme 5 Days of War realizado por Renny Harlin em 2011, baseado em factos reais, retrata a invasão russa à Geórgia, levada a cabo em Agosto de 2008. A guerra que ocorreu na zona do Cáucaso, expôs a ganância russa por poder e por reaver as terras que outrora pertenceram à URSS, nesta caso os territórios da Geórgia e da Ossétia do Sul. O filme protagonizado por Rupert Friend, retrata a vida de um jornalista de guerra que em 2007, na guerra do Iraque perde a sua namorada num ataque terrorista e que no ano a seguir parte para a Geórgia em busca de documentar, juntamente com o seu colega repórter de imagem, personagem interpretado por Richard Coyle. Num cenário de guerra, os dois jornalistas vivem os dramas do povo geórgio enquanto acompanham uma família de refugiados.

 

Durante a trama, é perceptível de avaliação algumas falhas de ética por parte da equipa de jornalistas:

 

1)      O facto de, no início, o personagem principal admitir que mantém uma relação, inclusive sexual, com a sua companheira de profissão, a também jornalista Miriam, poderá ser considerado uma falha ética, na medida em que a relação entre ambos os aproxima, sendo possível que profissionalmente deixe de haver uma separação e distanciamento adequado e leve a que exista um envolvimento mais emocional nas situações, neste caso, de perigo.

2)      Embora as imagens recolhidas fossem para ser entregues a organizações de defesa dos direitos humanos, estas eram bastante violentas. Um repórter de imagem para mostrar a violência de algo não necessita de filmar “o ato” ficando-se pelas “consequências” por exemplo. Assim sendo, considero não ser muito ético a captação de imagens de sofrimento, tortura e morte que foram recolhidas.

3)      Ao longo da história, os jornalistas filmaram a fuga e reencontro da família de refugiados, com todas as contrapartidas que isso trouxe, acompanhando-os. Neste caso, para serem respeitadas normas éticas deveria ter existido um distanciamento, não sendo usada a família como modelo de “família fugitiva geórgia”.

4)      Outro facto que demonstra falta de ética, prende-se pelo facto de as cadeias não aceitarem as imagens, cedendo a pressões do presidente russo, optando por passar imagens dos Jogos Olímpicos.

 

Por fim, creio que a frase proferida pelo senador americano Huram Johnson, em 1918, “The first casualty of war is truth”, isto é, “A primeira vítima da guerra é a verdade”, demonstra como a cobertura de um conflito pode não ser objectivo, sendo possível manipular a realidade. Outra questão que se pode colocar, é, Quem tem razão? Quem diz a verdade?

 

 

 

Por: Pedro Miguel Martins

publicado por blogafazerdeconta às 22:34

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
blogs SAPO