Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

13
Abr 12

Good Night And Good Luck – George Clooney

 

O filme retrata uma relação triádica de poder nos primórdios do jornalismo televisivo, anos 50, altura em que se vivia a guerra fria e predominava o medo pelo comunismo. De um lado, está a pressão política exercida por McCarthy, senador dos Estados Unidos da América, sobre a televisão e, em particular, sobre o programa “Veja agora” do canal televisivo CBS, apresentado por Edward Murrow, que se destina a informar a audiência, procurando não lhe ocultar qualquer facto relevante. Por outro lado, existe pressão económica manipulada pela ALCOA, patrocinadora do mesmo programa. Por último, do lado da televisão, está a pressão mediática, que é inerente a este meio de comunicação e que é acentuado com os programas informativos de Murrow, assentes em pilares de liberalismo.

 

Durante o filme, podemos perceber a forma como o sistema de selecção de informação funciona e como os News Makers lidam com os diversos tipos de pressão. Exemplos disso, é o facto de seleccionarem alguns fragmentos de um discurso de McCarthy para que a sua imagem não fosse prejudicada ou a situação em que optam por não colocar a notícia do falecimento de um jornalista do Times.

 

Podemos observar, igualmente, que a televisão funcionava também como um vínculo forte para a criação de um conceito e da sua propagação, é o caso de um discurso de McCarthy no qual ele define “Perigo nacional” referindo-se aos comunistas e os simpatizantes da política comunista, fomentando, assim, o clima de desconfiança e insegurança social perante comunistas e incentivando a “caça as bruxas”.

 

Outro exemplo da potencial manipulação nos media, e sobretudo na televisão, foi o facto de, num dos programas, Murrow denunciar alguém relacionado com o poder político. A consequência foi o produtor da CBS, Fred Friendly e o director Paley alterarem o horário de transmissão desse programa para os domingos à tarde, horário em que menos pessoas assistiam televisão. Podemos, então, concluir que todas estas formas de manipulação apoiadas no poder político, económico ou mediático constituem uma espécie de censura.

 

Good Night And Good Luck acaba por esquematizar um dos principais perigos da televisão: o fabrico da opinião pública e através dela, a manipulação da realidade. Apesar disso há uma visão optimista, focada no poder do indivíduo e na sua racionalidade.

 

O filme termina com a continuidade de um discurso de Murrow, já iniciado no princípio do filme, em que ele afirma que “a nossa história será o que fizermos dela”, procurando transmitir o poder de persuasão da televisão. Refere, ainda, que este meio de comunicação pode ser utilizado para ensinar, para educar, ao invés de servir interesses políticos ou económicos, porque, afinal “os humanos usam a televisão para o que quiserem”.

 

Sílvia Silva

publicado por jessicasantos às 23:35

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
blogs SAPO