Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

13
Mai 12

 

Por: Joana Ferreira

 

Fundado em Fevereiro de 2004, o Facebook é uma ferramenta social que ajuda as pessoas a comunicarem mais eficientemente com os seus amigos, família e colegas. As redes sociais mostram-se cada vez mais como um lugar de presença obrigatória para todos aqueles que querem fazer passar de algum modo a sua mensagem. Os políticos não são execpção, pois recorrem as redes socias para fazer passar as suas ideias políticas. Como detentores do poder de formar e influenciar a opinião pública de um determinado grupo, os atores políticos mobilizaram as suas estratégias de persuasão de acordo com a mobilização das grandes massas.  

 

 

Fig. 1 O poder que as redes sociais exercem na opção politica de uma comunidade

 

As redes sociais atingiram a nossa comunidade e todos os dias são imensos os internautas que por estás plataformas se deixam conquistar. Desta forma para a mensagem politica chegar as grandes massas são cada vez mais os políticos que utilizam a Internet para se fazerem ouvir e interagir com o eleitorado e desta forma conseguir a sua fidelização ao partido. Como representantes de uma população  os políticos utilizam a maior rede social do Mundo  “como canal  de diálogo com os eleitores”, refere Luiz Fernando Cardoso, repórter de Política e Master em jornalismo. A estratégia no uso destas plataformas passa por atingir um publico cada vez mais vasto.

Com o inicio de uma era da comunicação onde tudo se transporta para a internet, os  atores  políticos viram também a necessidade de agirem de acordo com a evolução do ciberespaço Os meios digitais estão a mudar o panorama da comunicação, com a economia em constante mudança, as novas tecnologias da informação, internet e redes socias assumem especial relevo na nova era da comunicação e gestão dos relacionamentos entre as pessoas. O Mundo digital permite aos políticos alcançar e interagir com o eleitorado em qualquer lugar e a qualquer momento.  

“Os mercados são cada vez mais competitivos e globais” menciona Luís Saias no livro “Marketing de Serviços”. A adaptação á era moderna é necessária, o bom uso das ferramentas da comunicação pode trazer reconhecimento e prestigio para o partido politico. Rita Figueiras, professora Universitária  refere “Os meios de Comunicação social podem ajudar a ganhar campanhas”, por vezes sendo irrelevante a qualidade do politico, a qualidade vem dos “bastiadores”, onde são definidas estratégias para a captação de eleitorado.  

 

 

 Fig.2 Barack Obama nas presidenciais de 2008 nos EUA

 

 O reconhecimento e a utilização da internet com media para campanhas eleitorais já existe pelo menos há 10 anos, porem a campanha realizada por Barack Obama em 2008 para a eleição presidencial dos EUA superou qualquer expectativa , traçando novos rumos para o marketing político, reescrevendo regras de como atingir o eleitorado. Esta interação proporcionada e especial pelas redes sociais possibilitou maior aproximação dos eleitores com Obama.Barack Obama ganhou este nomeação democrata em grande medida por causa da domínio de sua campanha de tecnologia da informação e sua compreensão das redes sociais.

Rui Calafates, especialista em Marketing Político, foi um dos académicos que estudou as legislativas de 2009 em Portugal, e explica “Há anos fazia soundbyte ao  político que aparecia na internet. Agora já perceberam que a Net é mais do que uma tática, é uma forma de conseguir proximidade”. A internet e as redes sociais estão a entrar no mundo político português e com a generalização da ferramenta, os atores políticos perceberam que para chegar a alguns dos seus potenciais eleitores tem de ser através da Web.  “Vários estudos indicam que a percentagem de tempo dedicado ao Facebook pelos seus utilizadores esta a ultrapassar o tempo  dedicado á busca, os candidatos têm de estar onde as pessoas estão” menciona João Wengorovius, presidente da agência de publicidade BBDO Portugal. Filipa Seiceira explica o que as candidaturas não estão, mas deviam estar a fazer, na Net.O segredo está em descobrir as melhores mensagens para o segmento de público que interessa.Independentemente da cor politica, idade ou formação, não há político que dispense a sua presença nas redes sociais. No entanto Ivone Ferreira professora Universitária considera que os políticos portugueses ainda não estão a vontade com a principal vantagem dos meios, a interatividade. 

            A interação entre eleitores e candidatos proporcionou o aumento da confiança e da credibilidade, proporcionando a mudança de hábitos e maior participação politica da população, sobretudo os jovens. 

 

 

 

publicado por Regina Machado às 22:13

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO