Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

17
Abr 13


A série norte-americana "The Newsroom", escrita por Aaron Sorkin, retrata acontecimentos diários de uma redação de um jornal de noticias. A série mostra os bastidores do programa "News Night" e os problemas com que os jornalistas se deparam na sua profissão.

 

No 6º episódio da primeira temporada, podemos refletir sobre importantes aspetos do foro jornalístico. A questão da Ética e Deontologia, mais concretamente a importância das fontes e confidencialidade; o impacto das novas formas de comunicação no jornalismo; e a hierarquia organizacional da redação são muito bem analisados, retratam o quotidiano dos jornalistas e toda a pressão que envolve a profissão. Neste espisódio ocorrem determinadas situações que refletem bem a vida de jornalista.

 

No Jornalismo, o surgimento de novas formas de comunicação revela-se de fato uma mais valia no sentido que democratiza a informação, no entanto, pode tornar-se prejudicial. Todos ganham voz com as novas plataformas, a informação circula a uma velocidade vertiginosa e isso acarreta consequências. A cena em que Will McAvoy fica aborrecido pelos comentários no website é um exemplo disso mesmo. Faz-nos questionar sobre o fim do jornalista como gatekeeper. Será que o filtro noticioso está em risco quando se torna acessível às audiências? O jornalista perdeu o monópolio do jogo informativo, deve haver uma adaptação ao ambiente de Internet. A ameaça de morte a Will é também um exemplo, mais potenciado, de como a informação disponível a qualquer pessoa pode ser perigosa.

 

Constatei a importância das relações que se estabelecem dentro da redação e a sua hierarquia. Para além da relação de camaradagem e união, verifica-se outro tipo de relações que influenciam a forma como cada jornalista desempenha o seu papel. Sloan, desenvolve uma espécie de admiração por Will, este experiente jornalista tenta orientar e motivar a novata mas acaba por influênciar as suas atitudes.

 

Há em todo o episódio uma constante pressão, caraterístico do trabalho, cabe ao jornalista gerir da melhor forma as situações problemáticas e não deixar-se afetar por elas. Exercício que se pode revelar difícil, como acabamos por perceber pela aparente tranquilidade de Will.

 

A importância das fontes e o respeito pela confidencialidade é outra questão relevante. Por vezes, o jornalista depara-se com situações delicadas relacionadas com informações dadas "of the record". As informações confidenciais não podem ser tornadas públicas pois não podem ser sustentadas. Segundo o Código Deontológico, o jornalista não deve revelar as suas fontes nem desrespeitar os compromissos assumidos. Na série, Sloan é confrontada com uma situação semelhante. A jornalista obteve, através de uma fonte, informação comprometedora e dada não oficialmente. Sloan precipitou-se, tornou essa informação pública, acabando por expor a sua fonte e afetando a sua credebilidade enquanto jornalista.

A "garota", acaba por ser repreendida pelo seu chefe, Charlie, chega mesmo a ser suspensa dada a gravidade da situação. De fato, agir de forma intempestiva e independente, pode trazer consequências graves. A responsabilidade do jornalista é muito grande, não há lugar para erros, toda a informação tem de ser fundamentada pois repercute-se em pessoas.

 

No fim, Sloan é pressionada a mentir para redimir a asneira e salvar o emprego da fonte. Esta é também uma situação complexa, pois o jornalista deve relatar com rigor e exatidão os fatos, no entanto, foi esse o preço a pagar pelo erro cometido.



Trabalho realizado por: Alexandra Alves


publicado por xanaalves às 23:27

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

15
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO