Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

08
Mai 13

O Hóquei em campo é um desporto pouco divulgado em Portugal apesar de já ter ganho vários títulos inclusive em competições europeias. A equipa sénior feminina do Sport Club do Porto está a uma vitória de se tornar bicampeã. Na última partida frente ao Belenenses, a equipa bateu o adversário por (5-0).

 

O treinador Márcio Marques acentua que o Sport, campeão ou não, entra em campo para ganhar: A responsabilidade foi sempre a mesma pois entramos no campo para ganhar, temos talvez o plantel mais equilibrado do campeonato. Este ano ainda não sentimos o sabor da derrota no mesmo.”

 

Por ser um desporto com menos visibilidade, tem falta de apoios financeiros. As atletas têm que pagar uma quota por mês mas esse valor não chega para cobrir os custos.

Temos deslocações a  Lisboa que ficam caras e várias vezes levamos comida para pouparmos.”, referiu o técnico. No caso do Sport Club do Porto, os balneários são um dos problemas que mais afetam as jogadoras. “Na altura do inverno, com a chuva, as atletas treinam e depois vão para casa molhadas. Alguns treinos até têm de ser cancelados.” A capitã do Sport e também jogadora da seleção nacional, Zita Santos, acrescentou que na própria seleção as condições de trabalho não são as melhores daí que a nível internacional não joguem de igual para igual com os adversários.

 

O treinador gostaria que este desporto fosse mais divulgado pelos media: “O hóquei em Portugal é mais falado na altura dos europeus, mas é muito pouco. Sem dúvida que se fosse mais falado teria mais adeptos. E até já existem escolas que dão hóquei em  educação física. Zita Santos completou: “muitos deles nem devem saber que este desporto existe. Em Portugal é muito pouco conhecido.”

 

Márcio Marques assumiu este ano o comando técnico da equipa mas sabe desde cedo que cada jogadora tem a sua personalidade em campo. “Um fator importante é motivar as atletas e fazerem que acreditem no seu valor e que sejam unidas.”

 

Entre as jogadoras o lema passa pelo respeito pelo adversário, a união, o incentivo e a luta até ao apito final. A diferença de idades, desde os 16 aos 34 anos, não constitui um entrave para um grupo que mantém a boa disposição. “Arranja-se sempre tempo para tudo. Depois todo o esforço é compensado ”, sublinhou a capitã.

 

Para a final com Lousada, o treinador admite que a equipa está unida e confiante: “Temos que melhorar a finalização pois criamos muitas ocasiões de golo. Cada jogadora vai dar tudo de si pois queremos muito revalidar o título, o sacrifício dedicação e empenho tem sido bastante.”

Para saber mais sobre hóquei em campo consulte


Filipa Alves


 

 

publicado por jornalismofilipaalves às 23:47

Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

16
17
18

19
20
21
22
23

26
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO