Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

24
Mai 13

 

 

A Universidade Lusófona do Porto foi novamente espaço de aula aberta. O novo convidado, Álvaro Costa, abordou vários temas entre os quais o paradigma do comunicador na nova geração das redes sociais, numa seção que durou duas horas na passada quarta-feira dia 22 de maio.

 

Qual é o papel do comunicador atualmente, em especial no mundo online? Foi a pergunta que Álvaro Costa, o enérgico caxineiro e jornalista da Antena 3, tentou responder. Tomou como exemplo a própria experiência, mais concretamente na época após apresentar o programa Liga dos Últimos para a RTP. “Quando o Michael Jackson morreu, fiz a cobertura noticiosa ao qual uma pessoa disse num blogue: o que faz ali o tipo da Liga dos Últimos?”.

 

  

Agora é uma pessoa mais atenta à nova geração, que reage cada vez mais rápido ao comunicador de massas, como Álvaro, num mundo mais ligado à internet. Num discurso decorado com anglicanismos como "mainstream", "whatever" e outros jargões típicos de um utilizador online do século XXI, explica que a interação com o utilizador online é a máxima do jornalista, que “nunca está só a ouvir o programa. Está em vários sítios ao mesmo tempo, a falar no Skype, a mandar mensagens. Se a interação falhar perde-se a atenção da audiência”.

 

 

Álvaro Costa chama também atenção para o acesso à net, que é “ tão instantâneo que até dói”. Explica que é necessário estabelecer um modelo de comunicação apropriado, para depois perceber qual o modelo económico mais viável. "Portugal está atrasado 10 anos em relação aos EUA", os pioneiros das redes sociais. Com a crise, torna-se "difícil arriscar pois não há dinheiro". Para ele, o futuro está no grátis, onde os "modelos tradicionais passarão para a net, para os grandes playeres como é o caso do YouTube". Os canais generalistas "só sobrevivem enquanto houver publicidade e eventos como a vinda de papas".

 

Álvaro Costa finaliza a sessão com algumas ideias quanto ao futuro da profissão, que "é brilhante e as possibilidades são imensas, daí que seja necessário estabelecer uma ordem na vasta biblioteca de Alexandria. Os meios de comunicação tornam-nos realizadores, como o caso do iPad em que podemos tirar fotografias e fazer vídeos da realidade que queremos captar. É fundamental usar os métodos de deontologia e perceber que estamos sempre no domínio público, mesmo no online".

 

Alguns dados:

Homem da Rádio

A cidade do Porto é o local ideal para viver deste portista incondicional

Amante da Cultura Pop, desde aos filmes à música

Disc Jockey

Pai de uma menina 

 

Trabalhos:

-BBC (programa Music Box)

-Liga dos Últimos (RTP)

-Bons Rapazes (programa da Antena3)

-Grande Área (RTPInformação)

-Portugal 3.0 (atualmente no ar na Antena 3)

-AC tv, projeto para um novo cana de informação

 

 

Imagens: Página Oficial de Facebook Álvaro Costa
Veja também: 

Por:
João Mota 
publicado por jonasmota às 18:33

Já lhe aconteceu pensar que está a ser perseguido? Ligar uma televisão ver uma cara, entrar no carro e ouvir a voz da mesma pessoa ou, até, viajar pela internet e ser, mais uma vez, bombardeado com comentários ou informações dessa mesma pessoa? Pois bem, essa situação é possível com Álvaro Costa, jornalista da RTP.

“Hoje, com a tecnologia que usamos, somos meios de comunicação.”

 

 

A frase é do mesmo jornalista, Álvaro Costa, aquando de uma aula aberta à comunidade universitária na Lusófona do Porto, na passada quarta-feira, 22 de Maio. Com um ar natural e completamente descontraído, o jornalista da RTP, de 53 anos, proporcionou uma viagem “atribulada” por todo o seu vasto trabalho. O “comício”, esse, decorreu de uma forma bastante relaxada e em jeito de conversa informal. Se nos perguntarmos, a nós e até mesmo aos outros quem é Álvaro Costa, a resposta será, tendencialmente, a mesma: “é o da liga dos últimos.” A verdade é que, apesar de segundo o jornalista, “a liga dos últimos foi o Santo Graal da minha reconstrução”, o seu reportório fala mais alto que somente “o programa cultural”, do povo, que vibrava com o futebol.

A sua tremenda variedade de conhecimento, junto com uma comunicação fluida e, de certo modo, desconcertante – no bom sentido, claro -, permitiu-lhe alargar a sua área de trabalho entre os demais temas: música, desporto e tecnologia. O programa “Bons rapazes”, na Antena 3 ficava ao encargo do jornalista que, em conjunto com Miguel Quintão, em Lisboa, deliciavam os ouvintes com duas horas de novidades e sucessos musicais; No futebol, apesar de ser um adepto confesso, e “gostar muito do jogo”, opta por uma postura mais neutral. No programa “Grande Área”, da RTP Informação, o jornalista é responsável pelo “programa B”, uma espécie de extensão ligada à tecnologia, seja nas redes sociais ou noutro formato qualquer.

A variedade e conhecimento são duas das principais armas que o jornalista tem em seu poder. Apesar disso, a sua inspiração está “nas leituras ou conversas com a nova geração.” Com a preocupação de ter, sempre, “um pé na deontologia e no rigor”, Álvaro deliciou, cativou e motivou a plateia da Universidade Lusófona.

 

“O futuro [da comunicação] é brilhante.”

 

Actualmente, o jornalista é responsável pelo programa “Portugal 3.0” mas, contudo, tem diversos projectos futuros. Explicando à plateia que, basicamente, até a “Joana-Tv” pode existir, o jornalista falou dos seus trabalhos futuros, relacionados com um canal de televisão da era digital, a AC.TV.

De uma forma geral, é enriquecedor para qualquer estudante, seja, ou não, da área da comunicação, lidar de perto com profissionais tão mediáticos e experimentes. Sucintamente, mais do que aprender segundo linhas orientadoras ou traços de aprendizagem, o conhecimento é transmitido a partir de experiências vividas e transmitidas aos que, no futuro, gostavam de passar por isso.

 

fotografia de Renato Cruz Santos, retirada do facebook oficial do jornalista

 

Luís Miguel Costa

publicado por Luís Miguel Costa às 16:20

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO