Blog de Jornalismo Especializado, Universidade Lusófona Porto

17
Abr 12

É nos anos 50 nos estados Unidos da América que existe um confronto entre duas forças. O poder Político e o poder da comunicação cruzam se e entram em conflito, pois, defendem valores diferentes. 

O filme realizado por George Cloney aborda problemáticas que faziam parte dos primórdios da comunicação, assuntos que hoje em dia continuam a ser um grande entrave na “liberdade de expressão”. 

Embora existam mais personagens no filme vamos apenas focar duas, aquelas que representam os poderes aqui em causa. O poder da Comunicação era representado pelo repórter da CBS Edward R. Murrow enquanto que o poder político era desempenhado pelo senador Joseph McCarthy. O confronto entre estas duas figuras começou por não partilharem das mesmas opiniões, o objectivo do jornalista era denunciar as tácticas defendidas pelo senador a todo o povo americano. No fundo o jornalista usa o seu programa para difundir as suas ideias e é desta forma que o Edward R. Murrow defende as suas convicções. Era através da sua palavra que queria criar um povo activo e com ideias formadas.

Apesar de toda a opressão política vivida na altura o jornalista continuava a defender as suas ideias, queria dar voz a um povo calado. Mas, claro que um canal de televisão não vive sem patrocínios e já que não se pode calar um jornalista retira-se o necessário á subsistência de um órgão de Comunicação Social. É desta forma que a empresa “Alcoa”, patrocinadora do canal, retira as ajudas financeiras. Por consequência, superiores de Edward R. Murrow retiram-lhe poderes e obrigam-no a mudar de conteúdos, a direcção decide ainda retirar o programa do horário nobre. Desta forma podemos ver a grandeza da palavra da comunicação Social e de que forma é que a “Politica” continua a ter receio de como a mensagem desta Comunicação se pode tornar tão forte e tão capaz de formar ideias.  

É evidente como o “Quarto Poder” (jornalismo) continua a ser importante numa Sociedade. Continua deste modo a transtornar o Poder Politico.

 A luta por uma comunidade informada e com capacidade crítica começou nos anos 50 e hoje em dia o poder da comunicação abrange a maioria da sociedade. É graças á palavra de um bom comunicador que sem medo difunde o que acha justo e correcto que a mensagem chega até “NÓS”.  

 

Por: Joana Ferreira, 20093452

publicado por Regina Machado às 17:02

13
Abr 12

 

 

Por: Regina Machado

 

Stephen Collins, jovem congressista republicano e membro de uma comissão de investigação do congresso, vê a sua vida exposta e remexida pelos meios de comunicação social aquando a morte de Sonia Baker, investigadora chefe e sua amante. Esta morre no metro de Washington se uma forma misteriosa (a morte, o inesperado, o escândalo e a notoriedade são alguns dos grandes valores-notícia estabelecidos por Nelson Traquina e aqui verificados). Quando Stephen se prepara para falar numa conferência de imprensa sabe da notícia e, em plena conferência começa a chorar, o que dá azo às especulações por parte dos meios de comunicação. Tem como valor noticioso primário o facto de ser acontecimento que envolve figuras importantes merece o envio de uma equipa para o local; de imediato foram enviados jornalistas para a frente da casa do congressista, para vigiarem cada passo por ele dado. Outro dos valores aqui presente é o valor das imagens que quanto mais dramáticas e interessantes forem, têm um valor acrescentado para entrarem na agenda; o facto de Stephen chorar foi captado em direto e retransmitido vezes sem conta. Os rumores que associavam o congressista à investigadora chefe e a um eventual suicídio abriram as emissões televisivas, generalizaram-se por cada órgão e meio noticiosos. Ao pensarmos no jornalismo como uma organização, temos que ter em conta as várias hierarquizações. Warren Breed estudou como as relações de força ocorriam dentro de uma redação jornalística, tanto no confronto entre os jornalistas como entre as chefias. Cal era um grande repórter; estes são os jornalistas que se destacaram pela sua competência, pela sua capacidade de comunicação e pela confiança que neles pode ser depositada e que são convidados a trabalhar em grandes reportagens, gozando de elevada autonomia. No caso específico de State of Play, a autonomia de Cal era notória: não deixava a diretora interferir no seu trabalho, apenas participava nas reuniões para fazer o ponto de situação e era uma base inclusive para o redator do próprio jornal. Habitualmente são jornalistas especializados num determinado campo/área e destacam-se por isso. São bons enquanto especialistas e servem de apoio à restante redação. Normalmente são incutidos de tratar os grandes acontecimentos e usufruem de uma grande margem de manobra dentro da organização. Relativamente às chefias, Cameron Lynne, a diretora do jornal assume o pensamento cada vez mais comum numa organização jornalística: “os nossos donos têm a estranha noção de que devemos dar lucro”. A preocupação pelas vendas levou à sede permanente por parte da diretora em apurar factos pessoais, com base na amizade de longa data entre Cal e Stephen Collins. Algo fundamental a reter é exatamente relativo a este facto: hoje em dia, e cada vez mais, o que conta é a rapidez com que uma notícia sai e os custos com pessoal cada vez menores. Uma realidade que é importante absorver, à luz dos nossos dias.

 

 

publicado por Regina Machado às 22:36

12
Abr 12

O filme “State of play” retrata o processo de investigação jornalística numa redação Americana, sobre dois casos que inesperadamente interligam-se.

A história inicia-se com o homicídio de um jovem drogado e com o coma de outro, aparentemente reversível. Na manha seguinte, o jornalista Cal McAffrey, o famoso jornalista de investigação, vai ao local do crime recolher informações devido a ajuda da sua fonte, o detective Donald Bell.

Paralelamente, decorre outro caso, a morte de Sonia Baker, assistente de Stephen Collins, membro ativo de uma comissão de investigação do Congresso aos Negócios e Actividades de uma empresa de segurança privada, a PointCorp.

 Stephen Collins recebe a notícia quando se encontra numa audiência e fica claramente devastado, o que faz com que os media especulem e afirmem que os dois eram amantes. Cal McAffrey, era amigo de longa data de Stephen e acredita que este está a ser alvo de uma manobra de desacreditação por parte da empresa de segurança privada e começa a sua investigação. Della Frye, uma ambiciosa jornalista política, redige no espaço online do jornal, e tenta encontrar a ligação entre o homicídio do jovem drogado e o suposto suicídio de Sonia Baker, com a ajuda do jornalista Cal McAffrey.

O filme termina com o jornalista a redigir a reportagem, com o elenco da sua redação no seu redor, aguardando o resultado final.

O filme retratado está inteiramente relacionado com os conceitos principais do Jornalismo, como por exemplo, as rotinas do Jornalismo de investigação, a proteção das fontes, a manipulação da informação, os valores notícia, o agenda setting, o news making, a relação entre o jornalismo e o poder político e a relação entre os jornalista e a organização para a qual trabalha.

Assim, o principal foco é o Jornalismo de investigação, que requer tempo para retratar um assunto, com interesse para os leitores, com o máximo de pormenores, procurando levar os leitores para o local do acontecimento. Para isso deve recolher as informações in loco e relacionar-se com as fontes, de forma profissional. O jornalista deve sempre proteger as fontes e reproduzir com fidelidade o que foi contado, para não prejudicar ninguém.

Um dos fatores importantes para a realização de um bom trabalho é a relação existente entre os jornalistas e a organização para a qual trabalham, na medida em que todos os trabalhos são realizados com um propósito, financeiro, de vendas. Porém, como o filme reporta, o mais importante não é ser diretor ou chefe, mas sim desempenhar as suas funções da melhor forma possível e manter uma boa relação com os colegas.

Em suma os jornalistas, neste caso de investigação, deparam-se com situações inesperadas que tem que ser analisadas com bastante cuidado, para proteção das suas fontes e de todas as pessoas envolvidas no caso.

 

Francisca Gonçalves

publicado por inesousalmeida às 20:38

 

 Ligação Perigosas (State of Play) é um filme norte-americano realizado por Kevin Macdonald. Este drama policial retrata a jornada de um jornalista, Cal McCafrrey (Russel Crowe), num jornal, o Washington Globe. A película centra-se num caso que envolve uma empresa militar privada, PointCorp, o governo norte-americano e em especial, um velho amigo do jornalista, o senador, Stephen Collins (Ben Affleck).

Eliminando qualquer laço na relação de amizade que existia entre os dois, o jornalista é obrigado a optar pela ética e integridade profissional, para investigar a fundo o amigo/senador que põe em risco a reputação do governo norte-americano. O senador é também preso, com a ajuda de Cal McCafrrey.

Esta história complexa, representa as complicações a nível político que tanto se fazem sentir em todo o mundo. O filme ajuda a compreender que essas dificuldades nem sempre estão á vista da sociedade, estão é a ser abafadas pelo governo para não prejudicar o seu cargo e os privilégios. Este thriller demonstra também o esforço do jornalismo para desvendar a verdade, visto que faz parte do interesse público. Enquanto confrontados com obstáculos éticos, o filme mostra todas as decisões tomadas pelos jornalistas e sua jornada, na íntegra.

O filme tem também uma ligação com alguns elementos da teoria do jornalismo que se destacam na película como, as fontes oficiais e oficiosas, os valores-notícia e o jornalismo de investigação e os seus componentes. É de salientar a relação complexa do poder político com o jornalismo, porque tem o poder de influenciar, condicionar e decidir.

Esta longa-metragem demonstra um lado do jornalismo muito bem desenvolvido, que é a luta que existe entre o sensacionalismo e a busca da total verdade de um acontecimento, isto é, o jornalismo de investigação.

O realizador fez questão de valorizar e relembrar à sociedade da verdadeira e antiga definição do jornalismo, juntamente com o papel árduo e corajoso dos jornalistas. Fez também sobressair o sentido de oportunidade que o jornalista pode vir a ter, se tiver coragem de arriscar em certas alturas da sua carreira.

Mas o principal ponto de atenção é o conceito do jornalismo de investigação, onde o jornalista procura mostrar à sociedade todos os elementos verdadeiros de um acontecimento, apoiando-se a 100% nas fontes e na relação que mantém com elas.

Apesar de ser uma vertente pouco explorada, o jornalismo de investigação explora acontecimentos polémicos e principalmente com teor corruptivo.

 

Inês Sousa

publicado por inesousalmeida às 20:27

13
Fev 12

Começa hoje o segundo semestre de 2011/12 e, com ele, começa também uma nova etapa nesta Unidade Curricular.

 Que as forças não vos faltem para o trabalho que se avizinha...

 ...e inspirem-se!

 

 

 

DanielCatalão

 

 

publicado por jornalismoespecializado às 18:56

17
Jun 10

Jornalistas e policiais. State of Play, um filme do realizador Kevin Mcdonald, retracta, entre vários aspectos da actividade jornalística, as relações entre jornalistas e agentes da polícia. O crime ocorrido preenche o filme desde o prólogo até ao “the end”.

Um crime que se transforma num caso para a polícia. Mas um verdadeiro puzzle para dois jornalistas, que tentam encaixar cada peça para contar uma história.  Susana Correia

 

 

 

Entrevista com o actor Stephen Collins (Ben Affleck) um político que está envolvido no crime em State of Play.

 

publicado por sucorreia às 11:19

16
Jun 10

 

Objectividade, uma meta  difícil de alcançar

Os jornalistas não conseguem ser totalmente objectivos, cada pessoa tem as suas crenças, não vive isolado e sofre influências. “State of play”, filme de Kevin Macdonald, com a participação de Russel Crowe Ben Affleck e Rachel McAdams ilustra bem esta situação. O filme para além de retratar as conspirações político-militar mostra uma investigação jornalística profunda e é esta, mais que a primeira, que interessa analisar. O filme trata várias problemáticas relacionadas com o jornalismo e os órgãos de comunicação social. Trata a nova realidade do meio online incorporado nas redações tradicionais e a forma como os jornalistas mais antigos vêem essa inovação. É possível também perceber como os meios económicos se apoderaram dos órgãos de comunicação. Estes lidam com as notícias como mercadorias onde o principal objectivo é vender mais que os outros mesmo que para isso não se cumpram todas as fases da construção da mesma, como o contraditório, por exemplo.

Sara Cardoso


publicado por sararncardoso às 22:17

15
Jun 10

 

No fim do curso muitos perguntam a si próprios “E agora?”. Estão preocupados se vão ou não prosseguir os estudos, se vão trabalhar ou se vão fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Se conseguirem encontrar um trabalho fica a dúvida se será ou não na área em que se formaram. Estas são algumas preocupações. Outras serão já, se conseguirão ter um futuro estável ou uma carreira sólida na profissão que escolheram.

Àlvaro Costa costa esteve com os alunos finalistas do curso de Ciências da Comunicação e da Cultura na Universidade Lusófona do Porto e deixou um conselho: ser-se individual.

 

publicado por sararncardoso às 23:18

31
Mai 10

 

A principal característica da internet é permitir que faça parte dela.

Benvindo ao mundo onde pode procurar, seleccionar e montar a informação como quiser. Sem a obrigatoriedade de ler um texto de cima para baixo e de ver as imagens estáticas do papel, o que lhe interessa à distância de um clique -INTERACTIVIDADE, com a qual faz o papel de receptor e de emissor.

 

 

 

E agora, já que está na net, procure.. seleccione... e decida.

 

 

 

 

 

Ver vídeo sobre jornalismo digital

 

 

 

 

 

 

Ler reportagem sobre jornalismo digital

publicado por jornalismoespecializado_jo às 22:50

26
Abr 10

Por Sara Cardoso

publicado por sararncardoso às 23:19

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar
 
blogs SAPO